Factor “tempo” passa a ser determinante no Facebook

O Facebook vai começar a contabilizar o tempo que dedicamos a observar um post para determinar se este conteúdo é interessante para surgir no news feed (mural) de mais pessoas.

O algoritmo que determina quais as publicações que devem surgir no nosso mural de Facebook está em constante mutação. O objectivo parece ser claro: chegámos a uma fase em que o nosso mural é inundado com demasiado conteúdo, e os programadores desta rede social procuram incessantemente uma forma de “separar o trigo do joio”, e obrigar os seus utilizadores a publicar conteúdos visualmente mais interessantes. Este algoritmo é notoriamente complicado, mas o número de “gostos”, cliques, comentários e partilhas sempre foram os factores determinantes na atribuição de alcance de uma publicação.

Ao fazermos scroll no nosso mural do Facebook, reagimos de formas diferentes às várias publicações que vão surgindo: passar sobre determinado conteúdo sem parar pode significar que o utilizador não se interessa por ele. Se perdemos algum tempo em algum post significa que este é interessante, mesmo que não tenhamos qualquer interacção com ele. Existem muitas publicações que não fazem muito sentido receberem um “gosto”, como notícias de uma catástrofe, mas isso não significa que seja desinteressante.

Obviamente existem muitas variáveis a considerar, como se o utilizador está parado numa publicação porque simplesmente se ausentou do computador ou dispositivo móvel com a sua sessão ligada, ou simplesmente se a conexão à internet é lenta. Por isso, esta métrica é importante, mas não é determinante.

Para as páginas de negócio, a empresa comunicou que não esperava ver “mudanças drásticas” devido a esta actualização, mas parece provável que as marcas que apostem mais em imagens com um forte apelo visual, vídeos e conteúdos publicados directamente no Facebook, venham a ser favorecidas com um alcance orgânico maior.

Google penaliza websites não responsivos

No passado dia 21 de Abril, a Google lançou uma actualização no seu algoritmo do seu motor de pesquisa, que penaliza todos os websites não responsivos, ou seja, que não estejam optimizados para visualização em dispositivos móveis (smartphones e tablets).

Enquanto nos computadores os resultados das pesquisas permanecem tal como estão, nos dispositivos móveis os sites “mobile-friendly” são apresentados no topo dos resultados.

Esta alteração pode ter um grande impacto económico nas páginas tecnicamente mal preparadas, que utilizem tecnologia obsoleta, isto porque para muitos negócios online, uma boa posição no Google significa maior entrada de receitas, especialmente tendo em conta que o utilizador habitual do Google não passa da primeira ou segunda página de resultados das pesquisas.

Poderá verificar se o seu website é responsivo AQUI. Basta inserir o link da sua página, e o Google fará a sua análise, bem como as suas recomendações.

Para tornar o seu website “mobile-friendly” deixamos alguns conselhos:

  • Não use tecnologia desactualizada ou não suportada pelos dispositivos móveis, como o Flash.
  • Crie um layout responsivo, que não obrigue o constante zoom na visualização em dispositivos de ecrã reduzido.
  • Tenha atenção às dimensões dos conteúdos da sua página, especialmente das imagens e vídeos. Quanto mais pesados os ficheiros, mais lento torna-se o acesso via móvel.
  • Utilize fontes web de fácil leitura.
  • Tenha em consideração que a navegação através dos dispositivos móveis é feita através do toque. Assegure que os botões e ligações encontram-se devidamente espaçados de forma a facilitar a interacção.

Consulte-nos para saber mais sobre como tornar o seu website responsivo.

Fonte: http://googlewebmastercentral.blogspot.pt/2015/04/rolling-out-mobile-friendly-update.html